[FEEDBACK] Microscópio Remoto - Zenaide Lopes de Oliveira Godoy

by Ana Carolina Leizer Gatti at 25/04/2019, 10:48

Ninguém na fila nesse experimento.
Entrar na fila
Para utilizar os controladores do experimento, por favor entre na fila e aguarde sua vez.

ATIVIDADE FEEDBACK (pós-observações)

Olá aluno!

Seja bem-vindo, novamente, ao sítio do LTE-IB-Unicamp!

O experimento remoto de observação, realizado entre os meses de abril e agosto de 2019, veio com a proposta de demonstrar a viabilidade do uso do laboratorio remoto do LTE como um suporte efetivo no ensino de Biologia. Vamos rever algumas das lâminas (em fotos) observadas no período de coleta de dados, discutir o que são e as possíveis dúvidas na identificação das amostras.

A presente atividade servirá para verificar as dificuldades e melhorias que devem ser consideradas nesse tipo de atividade. Lembrando que o mais importante não era a correta identificação da amostra, mas a interação com a tecnologiga para auxiliar no estudo de Biologia.

Após a observação das fotos e dos comentários preencha o questionário disponível no final dessa página.

Microscópios do experimento

Células de gânglio de coelho

Células de testículo de coelho

Lâminas de 24 a 28/06

As lâminas disponibilizadas eram amostras de células de coelho, gânglios e testículos.

A característica das amostras mais indicada pelos participantes da pesquisa foi a coloração rosa. Isso se deve ao tipo de preparo que facilita a observação ao microscópio. As células ao natural são incolores, então utilizar um corante que se fixe às membranas permite identificar melhor as estruturas e silhuetas.

Alguns poucos estudantes conseguem indicar que se trata de um tipo de tecido animal, mas talvez a falta de prática na microscopia atrapalhe a realização da atividade on-line.

No link a seguir há um explicação simples sobre como é feita uma lâmina para observação em microscópio

:https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/biologia/preparacao-de-lamina-histologica-coloracao/31094

Algumas repostas indicavam que as amostras eram regiões diferentes da mesma lâmina, ou seja, os alunos não conseguiam observar diferenças significativas entre os dois tipos de tecidos.

Paramécio

Corte horizontal planária.

Lâminas de 05 a 11/08

As lâminas disponibilizadas eram amostras de paramécio (protozoário) e corte de planária (verme platelminte).

Nessa observação, a maioria dos participantes conseguiu identificar um microorganismo, o paramécio ou, pelo menos, uma célula eucarionte, o que indica uma familiaridade com a silhueta do organismo apresentado. Alguns indicaram se tratar de céiulas vivas, o que não seria possível por estarmos observando lâminas preparadas para microscoia óptica.

Já a identificação da planária foi menos objetiva, muitos tipos de respostas diferentes - tecido humano, bactéria, pele, língua, fungo, lesma - e até vírus foi citado. A indicação de vírus pode indicar duas coisas: o não conhecimento do que é um vírus ou a não compreensão da ordem de grandeza de um vírus. Houveram algumas indicações de ser "uma célula", o que também pode indicar o desconhecimento da estrutura e da ordem de grandeza das células.

Haste (caule) de arroz.

Haste (caule) de tília.

Lâminas de 19 a 25/08

As lâminas disponibilizadas eram amostras de haste de arroz e haste de tília.

A maioria dos participantes indicou que eram ângulos diferentes da mesma amostra. Não houve nenhuma identifição de tecido vegetal, as respostas mais comuns foram: escama de peixe, pele, microorganismos e rocha.

Essas respostas indicam que não há muito conhecimento dos alunos sobre estruturas vegetais.

Agora que você já conhece algumas técnicas de microscopia e sabe que é cada amostra, responda o questionário a seguir.

Esta atividade ficará disponível até 20 de setembro de 2019!

LTE 2019 - Educational Technology Lab - IB - UNICAMP